2011/12/03

Nazaré e o Centenário do Nascimento de Alves Redol



Estivemos, no passado último feriado do 1 de Dezembro, na Nazaré. Um grupo de amigos, de boa idade, mas sempre alerta. Depois de almoçarmos uma boa caldeirada no "Sete Saias" lá seguimos a pé até à casa do casal Soares Duarte. Pelo caminho, ali na marginal, de braço dado com o mar, as suas inseparáveis gaivotas e o belo areal daquela que é, por muitos, considerada a mais bonita praia de Portugal. 

Claro, dispersei-me do grupo e lá andei, uns momentos, nas asas duma daquelas gaivotas que por ali espreitavam pela sua oportunidade de ver o peixe a saltar...
---
Reedição do Livro “Uma Fenda na Muralha” de Alves Redol apresentada na Nazaré


    A Biblioteca Municipal da Nazaré realiza, no próximo sábado, 3 de Dezembro, às 16h00, uma sessão de apresentação do Livro “Uma Fenda na Muralha”, de Alves Redol, reeditado, que contará com a presença de vários convidados. 
    António Mota Redol, filho do escritor,  pescadores que privaram com Alves Redol e a Comunidade de Leitores da Biblioteca Municipal da Nazaré (que arrancou as suas actividades com a leitura e discussão desta obra), entre outros convidados, são as presenças confirmadas nesta sessão, marcada para o próximo sábado.

    Esta iniciativa surge na sequência do Programa Nacional de Comemoração do Centenário do Nascimento de Alves Redol (1911 – 2011), que tem desenvolvido, ao longo deste ano, inúmeras actividades pelo país, e que já trouxe à Nazaré, ao Centro Cultural, em Setembro, a  Mostra Bibliográfica sobre o escritor, organizada pelo Museu do Neo-Realismo de Vila Franca de Xira.

    A Nazaré acolhe agora mais uma iniciativa dedicada ao escritor com a realização da sessão de apresentação de “Uma Fenda na Muralha”, livro (original lançado em 1959) que retrata o quotidiano nazareno dessa época. 
    in
    http://www.cm-nazare.pt

    Lá estaremos!...
    @as-nunes

    10 comentários:

    Luís Coelho disse...

    Bom dia Nunes
    Hoje levaste-nos à praia da Senhora da Nazaré. Obrigado pelo passeio.
    As fotos dispensam as palavras.

    Mas as palavras que escreveste foram poéticas e muito acertadas. Esses passeios assim na beira do mar e ajudados pelas asas das gaivotas são maravilhosos...

    Deu para ver e gostar um pouquinho desse sonho........

    as-nunes disse...

    Bom dia, Luís

    Obrigado pelo teu comentário.
    As tuas palavras são sempre muito bem recebidas e ainda bem que vamos conseguindo ser capazes de dizer alguma coisa às pessoas.

    É o que nos faz falta. Dizer coisas, coisas que nos entrelacem com a Natureza, com a Vida, com o Nós e Tudo.

    Um abraço, bom fim de semana,

    Rosa dos Ventos disse...

    Ir à Nazaré, mesmo sem um pretexto tão forte, vale sempre a pena!

    Abraço

    tulipa disse...

    EXCELENTE divulgação do lançamento deste livro.
    Imagino-vos, hoje - sábado - 3 de Dezembro, na Nazaré,
    junto dos vossos amigos neste evento.
    Vou aguardar relato do acontecimento, amigo António.

    Obrigado pela partilha!
    Mas, não vai dar para estar presente.

    Tenho andado afastada da net, foram 10 dias sem net e depois mais 15 de férias, ausente de Portugal.

    Já estou de regresso...
    fiz o 1º post sobre a minha viagem, se tiver paciência para ler, está convidado.

    é assim...eu sozinha pelo Mundo, com esta idade não é muito aconselhável...
    se eu tivesse uma companhia seria bem mais agradável, com toda a certeza.
    Continuo a procurar as agências de viagem porque fico um pouco mais orientada, (só um pouco...)
    no entanto,
    eu também me oriento sozinha como consta no meu relato do 1º dia de férias sozinha em Miami.

    Tenho que ser desenrascada,
    com o meu fraco inglês lá vou indo pelo Mundo e nunca me atrapalhei, felizmente.

    Quando faz frio em férias é desagradável, mas antes prefiro frio do que chuva, com frio agasalho-me mais um pouco e vou passear; já com chuva...não dá para ver nada!!!

    Um beijinho da Tulipa

    as-nunes disse...

    Olá Tulipa

    Já li a tua reportagem em Miami.
    Bem desenrascada sim senhora.
    Eu, como tenho pouquíssima experiência em viagens para fora, nem sei como é que safaria. A última foi a Creta, já em 2004. E foi a minha nora que orientou o esquema todo.

    Estupendo. Entretanto, só cá dentro, mesmo assim vejo-me à nora com tantas autoestradas, portagens, corta aqui, ai já passei...
    Beijinhos

    as-nunes disse...

    Rosa dos Ventos

    Sem dúvida, a Nazaré é mesmo bonita, Sítio e Pederneira incluídos.

    Uma maravilha da Natureza.

    Um hino ao Belo!

    Um abraço, também, aproveitemos o tempo que faz.
    Hoje vou, outra vez, à Nazaré, por causa do Alves Redol, neorealismo por todos os poros...

    Eddy Nelson disse...

    amigo antónio, bem-hajas pela partilha dessa nazaré tão luminosa. belissimas fotos...

    um abraço desde a telúrica beira

    carol disse...

    É muito linda a Nazaré. Adoro! Que belas férias de verão lá passei na minha tonta adolescência...

    Isabel Soares disse...

    Olá, António.
    Costumo espreitar aqui, mesmo que não comente, só para me deliciar com as fotos. Estas da Nazaré estão soberbas.

    as-nunes disse...

    Ora então quer dizer que tenho mesmo que me aprimorar nas fotografias que aqui vou deixando.

    Muito obrigado pelos vossos comentários, Eddy, Carol e Isabel, é sempre com muita satisfação que os leio com toda a atenção.
    E mesmo quando não se deixa nada escrito é recompensador saber que nos vão acompanhando nas nossas divagações pela blogosfera. É mesmo muito saboroso.
    :)