2011/12/19

Sentido obrigatório


Estamos quase a entrar no Inverno de calendário. Margem esquerda do rio Lis, em Leiria, na zona do Arrabalde, junto à Piscina Municipal.
Não resisti a tirar esta foto, por um lado, para mostrar o aprazível circuito de manutenção dos cidadãos, construído ao abrigo do programa Polis (há 6 anos, mais ou menos), por outro, pela curiosidade de ter apanhado em flagrante delito um ciclista.
É que os sinais indicam que devia virar à esquerda, mas o senhor seguiu em frente, pela mesma via dos peões. Diga-se, em abono da verdade, que nem sei mesmo se algum dos ciclistas que por ali passeiam, reparará sequer naquele sinal de advertência/trânsito.

O que é que acham? Se um polícia, daqueles que andam de caderninho na mão, todos pressurosos, a fiscalizar veículo a veículo, os automóveis com tickets fora de tempo ou mesmo sem eles nos variadíssimos locais de estacionamento, pagos ao cronómetro, na cidade, observassem esta manobra, multavam o ciclista?

Não me parece, o alvo está bem definido. O automobilista é uma das principais fontes de receita para o Orçamento da Câmara e do Estado em geral. 
@asnunes

3 comentários:

Catarina disse...

E o ciclista nao tem capacete!

as-nunes disse...

Bom dia, Catarina

Deve ser já efeito da recessão.
Não há cacau para fazer compras, já estamos a cortar na despesa.

Bem me lembro dos tempos em que nem sequer se falava no capacete de protecção, mesmo para as motorizadas/motoretas, tanto em voga há umas décadas atrás.

Greetings
Boas-Festas, Catarina

carol disse...

Muito bem caçado, amigo António! Mas acho que os polícias do caderninho não o multariam, não, porque os ciclistas não precisam de tirar tiquê...