2012/02/04

Não se andará a cortar árvores de mais, para vender como lenha?


Comprei 1.000 kg de lenha a O,13€ kg. A carrada vinha com sobreiro, azinho e oliveira. Diz que o azinho faz uma boa chama e dura mais tempo a arder. Assim parece, de facto.

Estive um pouco à conversa com o snr. A..., que me deu uma lição sobre os vários tipos de lenha que se usa nas lareiras de Portugal e a sua origem (indeterminada, que os fornecedores dizem que vem dos sítios mais diversos, muita do Alentejo, e que são provenientes de árvores velhas e carcomidas pelo tempo). Entretanto, vai adiantando que no que respeita às oliveiras, as centenárias - autênticos monumentos vivos, alguns que vamos admirando em rotundas de Leiria e outras cidades - estão a ser arrancadas a esmo e a serem substituídas por espécies próprias para produção intensiva de azeitona para curtir e para azeite (passou a ser todo "extra"?!). 
E com isto tudo o ecossistema desta orla atlântica e mediterrânica vai-se modificando (destruindo, talvez seja o termo mais adequado)  inapelavelmente.

Quanto ao azinho (azinheira), o seu abate está proibido. E o sobreiro (sobro ou chaparro) também é uma árvore protegida.

De modo que se fica com a sensação de que se estão a cortar árvores protegidas, aparentemente em bom estado vegetativo, para vender como lenha...

Que controlo é que se faz, de facto, sobre a forma como se está a gerir a floresta e a boa ordenação das espécies arbóreas existentes em Portugal? 

Bem sabemos a resposta: salve-se quem puder!...
Até quando?!...
-
nota:
azinho: azinheira (Quercus ilex)
sobro: sobreiro (Quercus suber)


@as-nunes  

7 comentários:

Graça Sampaio disse...

Caro amigo António, o único controlo que se faz com muito cuidado neste país é aos ordenados dos funcionários públicos!

Bom fim de semana quentinho com essas boas cavacas de sobro, de azinho, de oliveira. (Pena não ir o cavaco também para a lareira!...)

as-nunes disse...

Viva, bom dia, Graça Sampaio, ah já são 4 da tarde, vou almoçar eheh, esta madrugada ainda eram 5 horas e eu andava na estrada, fui buscar a neta mais velha, -2 graus li eu no mostrador do carro, ainda meti o nariz cá fora para tirar uma foto à Lua em quarto crescente, muito bonita toda gaiata, etc

Até às 3 e meia estive ao calor da lareira, e olhe que até me pareceu que andava por lá uma cavaca toda encavacada a deitar chispas por todo o lado...

E aquele jogo que vi ontem na TV? Bem giro, imagino, que eu já não vou em jogos de computador! Esta rapaziada é cada cavacada, danados para a brincadeira! A verdade é que a brincar a brincar lá se vão dizendo umas verdades...assim entendam os sinais dos tempos!

:)

Rui Pascoal disse...

Por falar em lenha... como é que está "o caso dos sobreiros"?
Será que, com todo este frio, "já ardeu"?

A VIDA É UM ETERNO APRENDIZADO disse...

Olá!
Foi um grande prazer conhecer seu blog.Aproveito meu tempo para navegar e ler textos e poemas feitos por pessoas que gostam de escrever.
Que bom que você é uma delas.
Grande abraço
se cuida

Eduardo Miguel Pereira disse...

Pois não sei se o controlo estará a ser feito em condições, levantas aqui uma questão pertinente.
Só compro lenha para a casita do Alentejo, e lá (ou melhor aqui, que hoje estou, felizmente, por cá) compro-a sempre à Junta de Freguesia e parece-me ser sempre lenha de árvores velhas e/ou resultante da limpeza de árvores mais novas.
Se calhar os "privados" cortam-na mais a eito !

E por falar em árvores, estive a manhã toda de volta delas, podando.
O meu quase centenário Limoeiro lá ficou mais arredondado e desprovido duns bons 10 ou 12 Kg's de belos e aromáticos limões verdadeiramente biológicos, que eu colhi e vou agora distribuir pelos amigos e familiares.
A Figueira, essa, foi bastante podada e ficou com um ar raquítico mas que lhe dará nova vida ... espero. A Tangerineira, muito novinha, safou-se à tesoura. Os Jasmins levaram um "pente zero" e as sebes também viram a "pôpa" desbastada. A Dama-da-Noite, também ficou "despidinha".
O que eu gosto disto, pá ! largava já os computadores para vir para aqui de vez ... mas ainda não pode ser !

Cenourit@ disse...

Será?!?!
Também cá na tasca a lenha que vai para a lareira é sobro, azinho e oliveira e ainda esta semana tive que mandar vir mais meia tonelada! Oxalá venha a chuva e o frio vá embora depressa...

as-nunes disse...

Deu-me cá um rebate de consciência que decidi vir responder (isto é comentar os comentários):

Rui
O caso dos sobreiros está suspenso porque há para aí umas contestações e uns requerimentos que ainda estão a despacho enquanto o tempo da prescrição vai passando, ponto final.
-
a vida...
A ver vamos se conseguimos alguma sintonia nos temas que escrevemos nos nossos blogues. Com essa arte e saber português não sei se estarei à altura das circunstâncias!
-
Eduardo
Há lá melhor vida do que aquela que se pode levar em contacto com a Natureza?
Só que falaste numas podas que tens andado a fazer para aproveitar a época, precisamente, isso dá cá uma trabalhera cumpadre, que eu tenho esse serviço um bocadinho atrasado, vê lá bem!
-
Cenourita

Esse problema da falta de chuva começa a ser altamente preocupante.
Já me vi na necessidade de regar as minhas couves e alfaces que tenho aqui no quintal/jardim.
Vamos lá a ver se não teremos que começar a fazer umas procissões a apelar à chuva!

Abraços