2012/03/31

Olaias rubras em Leiria, digo, Cerejeira do Japão (errata em 31-3-2014)




A tempo:
Devo ressalvar a informação de que se trata de uma olaia; de facto, a Av. N. Sra. de Fátima, em Leiria, tem muitas olaias, mas esta é uma cerejeira do Japão e não uma Olaia. (11Abr2012)
Na Av. N. Sra. de Fátima, em Leiria, no dia 24 de Março de 2012.
Estas serão as flores de olaias, as mais lindas que eu já vi em dias da minha vida...


Horas Rubras

Horas profundas, lentas e caladas
Feitas de beijos rubros e ardentes,
De noites de volúpia, noites quentes
Onde há risos de virgens desmaiadas…

Oiço olaias em flor às gargalhadas…
Tombam astros em fogo, astros dementes,
E do luar os beijos languescentes
São pedaços de prata p’las estradas…

Os meus lábios são brancos como lagos…
Os meus braços são leves como afagos,
Vestiu-os o luar de sedas puras…

Sou chama e neve e branca e mist’riosa…
E sou, talvez, na noite voluptuosa,
Ó meu Poeta, o beijo que procuras!

(Soneto “Horas Rubras”, Florbela Espanca. 
In: Livro de Sóror Saudade. 
Edição da autora, 1923, p. 196. 
@as-nunes   

5 comentários:

Adriana Roos disse...

Que lindas!

Catarina disse...

Que cor! Lindas.

Anónimo disse...

Não conhecia as olaias,muito menos a lindíssima floração Estou tão perto delas e nunca as vi!
Acho que logo à tarde vou passar por lá.Kinkas

Graça Sampaio disse...

Lindas!!! Não lhes conhecia era o nome! O que eu aprendo convosco!

Beijinhos floridos...

as-nunes disse...

Olá, gente amiga, como diria o Ferreira da Travessa, espero que estejam bem, como parece.

Tenho a declarar o seguinte:
1- Quando comecei este blogue, portanto há 7 anos atrás, pouco ou nada percebia de botânica;
2- Eis que abri um blogue chamado "árvores de Leiria" ao mesmo tempo que o "dispersamente" e comecei a interessar-me pela divulgação das árvores que ia descobrindo pelos espaços públicos;
3- De tal modo me entusiasmei com este tema que comecei a comprar encioclopédias e a ler e observar;
4- Em determinada altura tinha como que uma obsessão pelas árvores; fartei-me de barafustar com as tropelias que ia verificando; talvez por isso hoje tenhamos uma cidade com placas informativas das árvores e arbustos dos jardins, cantos e recantos públicos (talvez seja só pretensão minha, se assim for ainda bem, que será sinal de que as entidades responsáveis se preocupam com o nosso bem estar e necessidade de aprender;
5- Aqui está a razão que me leva a falar/escrever com tanta frequência sobe assuntos relacionados com a botânica em geral e com as árvores em particular.

Leiria tem muitas olaias e já as tenho dado a conhecer em diferentes ocasiões. Mas esta é que dá flores, as mais bonitas que eu me lembro de apreciar.

Retribuo com amizade a gentileza das vossas palavras e os beijinhos floridos...