2013/01/27

Olá como vão? Deste lado de cá estava-se bem, ontem...


Do lado das Cortes, renques de árvores frondosas a bordejarem o rio Lis e que resistiram, mais que as doutras terras, à fúria dos ventos do dia 19 próximo passado, o casario, o campanário da igreja de N. Sra. da Gaiola, por trás adivinham-se os cumes da Sra. do Monte, a nascente do rio Lis, um pouco mais à direita, também escondida pela linha de horizonte do outeiro do cemitério, a paisagem, toda ela, a acenar-nos, airosamente, mal sabendo que hoje já o dia estaria novamente chuvoso...

O tempo passa, estes ares e olhares permanecem...
@as-nunes

5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

De tarde já não choveu em Lisboa!
Por aqui também houve estragos...desapareceram duas árvores que estavam ao lado da casa do meu filho!

Abraço

Graça Sampaio disse...

Para os lado daqui dos Marrazes é que foi uma de árvores arrancadas pela raiz!
Foi pavoroso. E não para de chover. Que fartura de chuva!

Rogério Pereira disse...

Acho que é o casaria que insiste em permanecer, mesmo se as gentes deixarem os lugares...

Hoje atravessei uma bela vila, sede de uma freguesia. Fi-lo duas vezes: uma para lá, outra de regresso. Não vi vivalma...

Ana Ramon disse...

Olá amigo. Há muito que não visitava os blogues amigos. Por aqui também foi a doer. Cairam arvores e voaram telhas. Mas a Ip3 é que ficou numa desgraça com arvores e postes pelo chão. Mas é assim a Natureza. Também tem direito a passar-se. E que venha mais chuva para restabelecer a seca destes ultimos anos. Um beijinho grande para si

as-nunes disse...

Viva Ana. Sei que continua ativíssima em campanhas de intervenção cívica.
É bom recebê-la aqui neste meu refúgio e guarita de sentinela alerta enquanto for capaz ...

O IC3 para mim é como que um carreiro, que me guia, menos vezes do que eu gostava, até Viseu. É natural que tenha ficado uma lástima durante e após o temporal.

Um beijinho também, para si.