2013/10/12

Vinicius de Moraes e Maria Bethânea - nos 100 anos do nascimento de "o Poetinha"




Poética I


De manhã escureço
De dia tardo
De tarde anoiteço
De noite ardo.

A oeste a morte
Contra quem vivo
Do sul cativo
O este é meu norte.

Outros que contem
Passo por passo:
Eu morro ontem

Nasço amanhã
Ando onde há espaço:
- Meu tempo é quando.

---
O astronauta

Quando me pergunto
Se voçê existe mesmo, amor
Entro logo em órbita
No espaço de mim mesmo, amor

Será que por acaso
A flor sabe que é flor
E a estrela Vénus
Sabe ao menos
Porque brilha mais bonita, amor

O astronauta ao menos
Viu que a Terra é toda azul, amor
Isso é bom saber
Porque é bom morar no azul, amor

Mas voçê, sei lá
Voçê é uma mulher
Sim, voçê é linda
Porque é

Vinicius de Moraes
Arranjo de base de Maria Bethânia

5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Na revista do Expresso vem hoje um longo artigo sobre ele!
É sempre bom recordá-lo!

Abraço

as-nunes disse...

Viva Rosa, obrigado pela dica.

Tenho andado muito disperso, aliás para não fugir à rotina que até parece que nem reparo nos meus amigos da blogosfera.

E agora com a moda do feicebuque pior ainda.

Eu, cá por mim, continuo a apreciar sobremaneira a maneira de comunicar através do blogue.

Um abraço, bom domingo.

Rogério Pereira disse...

Que a memória fique
com quem nos dignifique

Saravá, meu irmão!

as-nunes disse...

Saravá, meu irmão...

Haja memória que nos ajude a fazer no presente o futuro que nos dignifique...

Saúde, Rogério!

lis disse...

Passando pra deixar um abraço Nunes
Vinicius, sempre necessário.